Apartidarismo

Assim como a Lava Jato é cada vez mais apartidária, sejamos também ao escolher os próximos representantes.
Nunca tive partido. Se tivesse, seria o PDT porém, desde que comecei a me interessar por política - ainda menos do que deveria - percebi que nem sempre o projeto, estatuto e diretriz do partido eram inversamente proporcional as atitude e o dia-a-dia dos políticos. Então, desde sempre procuro crer na pessoa, e assim defino meu voto.
Errei várias vezes...(ou seja, isto não é garantia de nada)
No entanto estamos vivendo um momento político peculiar. Quinta-feira a BBC Brasil publicou a opinião de cientistas políticos que concluem que a Lava Jato reforça caráter 'apartidário' com lista de Fachin.
Isto porque se num primeiro momento diziam que era uma perseguição exclusiva ao PT, hoje vemos que ninguém está escapando das garras do STF ainda que o PT tenha o maior número de investigados (20), seguido por PMDB (16), PSDB (13) e PP (9). Onze partidos completam a lista. 65% fazem parte de siglas que congregam a base aliada do governo.
Uma das observações importantes é a de que a forma como o nosso sistema político está organizado permitiu a anomalia.
O momento agora é de análise extrema e muito cuidado com as eleições de 2018. Observemos o que está acontecendo em São Paulo por exemplo com o prefeito João Dória.
Não, definitivamente não estou aqui fazendo campanha - não tenho essa capacidade - é preciso dar tempo ao tempo. Mas o perfil que o país precisa é este, não só no discurso mas, principalmente nas ações. Políticos que nos representem e queiram servir o povo. Que administrem o Estado como se fosse sua casa, que se errarem, sejam punidos. E para isso, o que menos importa é a sigla partidária e ouso a dizer, que talvez nem precisem pertencer a qualquer sigla.
Quanto mais liberdade e autonomia com responsabilidade, maior é a efetividade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)