Reajuste

73%: imoral? absurdo? Não! É pura e simplesmente reflexo de uma nação que adora levar vantagem em tudo.
Por 36 votos a favor e 11 contrários, os deputados gaúchos aprovaram nesta terça-feira o reajuste dos próprios salários, com índice de 73,3%. A partir de 1º de fevereiro de 2011, o vencimento do parlamentares, que hoje é de R$ 11.564,76, ficará fixado em R$ 20.042,34.
Há os que defendem e como se viu, entre os deputados, a maioria pensa assim. Eu mesmo gostaria de aumentar o meu salário no entanto, embora gostasse, não teria "cara de pau" de solicitar esse índice.
Dos absurdos, esse é o que menos me impressiona. No dia-a-dia vangloriamo-nos quando o operador de caixa ou o trocador do ônibus se engana no troco e dá a mais, recebemos o seguro desemprego mesmo já trabalhando em outro sem carteira assinada, quando sem precisar nos inscrevemos num bolsa-qualquer coisa, ou ainda mesmo podendo pagar insistimos em colocar nossos filhos na UFRGS entre tantos outros exemplos que mostram que o atos dos nobres deputados que nós escolhemos, muitos de nós agimos com a mesma índole.
Educação moral! É preciso repensar nossos princípios e valores.
A propósito, abaixo como votaram os deputados para quem sabe, avaliarmos melhor nossos representantes:
Votaram a favor do reajuste:
— PMDB: Alberto Oliveira, Alceu Moreira, Alexandre Postal, Edson Brum, Gilberto Capoani, Luiz Fernando Záchia, Márcio Biolchi, Marco Alba, Nelson Härter
— PP: Adolfo Brito, Francisco Appio, Frederico Antunes, João Fischer, Pedro Westphalen, Silvana Covatti
— PSDB: Adilson Troca, Paulo Brum, Pedro Pereira, Zilá Breitenbach
— PDT: Adroaldo Loureiro, Ciro Simoni, Gerson Burmann, Gilmar Sossella, Kalil Sehbe
— PTB: Abílio dos Santos, Aloísio Classmann, João Scopel
— PPS: Berfran Rosado, Luciano Azevedo, Paulo Odone
— PRB: Carlos Gomes
— DEM: Francisco Pinho, Paulo Borges
— PSB: Heitor Schuch, Miki Breier
— PCdoB: Raul Carrion

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)