Diogo e Juremir


Ser crítico é uma arte, quase que um acinte. Muitas vezes, chocar é o meio pelo qual, consegue-se romper a barreira da lógica burra da mesmice.
Juremir Machado da Silva escreveu em sua coluna deste sábado (13/mar) do Correio do Povo sobre sua amizade com Diogo Mainardi.
Começa por aí a provocação, pois, se já é polêmico ler, imagine ser amigo desse cara. A coluna vai muito além da simples ideia que se tem dos dois, razão pela qual, vale muito a pena conferi-la.
Leio Diogo Mainardi e Juremir e a acidez de ambos é fantástica. Lógico que Mainardi tem sua repercussão ampliada por Veja e Manhatan Connection mas por aqui nosso Juremir não deixa por menos e também é responsável por alguns 'terremotos'.
É complicado nesse país ser crítico, é como ser perseguido por indiferença, repulsa e ironia. Na maioria das vezes, e aqui vai minha opinião, é inveja por escrever destilando verdade absoluta e, principalmente, sem medo.
Não tenho esse talento todo, também não sei se suportaria o fardo de tê-lo. Como não sou jornalista, falta-me tempo disponível para ir atrás de verdades e poder mostrá-las de forma nua e crua.
Sobre os dois, não estou aqui defendendo que devemos acreditar cegamente ou concordar com suas opiniões mas é inegável que saber o que pensam essas criaturas é no mínimo, motivo de questionamento sobre tudo o que vemos, lemos ou acreditamos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)