Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

Fecha-se um livro!

Imagem
Arnando Nogueira foi, é e sempre será "o cara"!
Quem me dera pudesse um dia pensar e escrever com ele. Tento, sem sucesso, mas tento! Nogueira deixa saudades e, acima de tudo, uma lição: a de que é possível colocar no papel ideias, teses e argumentos elogiando sem bajular, criticando sem ofender e, principalmente, com base de sustentação. A prova de que era humano é que não concordava com tudo o que pensava como a idolatria a Pelé, por exemplo.
-Fica com Deus meu irmão!
Fecha-se um livro!
Perder não é nada, duro é não se achar.”

José Fortunati

A política que rege nosso dia a dia e é odiada por muitos precisa ser vista pelo lado bom. Ainda que pensemos que não exista. O recém empossado prefeito de Porto Alegre motiva e sustenta esse pensamento. Admiro Fortunati pela sua coerência e seu jeito de ser, mesmo nos equívocos. Vejo-o com um bom político, algo raro nesse globo e por isso, precisa ser observado para os próximos pleitos. Penso que ainda fará parte da história do nosso Estado, quiçá, do país. Que seu exemplo sirva para que escolhemos neste ano representantes que estejam engajados com uma causa e procurem, de fato, transformar positivamente nosso rincão.

Igreja católica

De que adianta desculpas numa instituição estática?
Não são poucos os casos de pedofilia envolvendo padres, isso sem contar com os que são abafados pela mídia ou simplesmente não são descobertos. Hoje, o papa Bento XVI, além de ordenar uma inspeção nas dioceses e seminários irlandeses em que foram registrados casos de pedofilia, afirmou que os padres envolvidos nos abusos responderão pelos crimes "perante Deus e os tribunais" além de divulgar carta com pedido de perdão às vítimas na Irlanda. leia+ Agora, de que serve pedido de perdão se a instituição não se atualiza, não acompanha a evolução e desconsidera estar parada no tempo com dogmas patéticos. Sou temente a Deus e com o passar do tempo vamos entendendo esse mundo louco que vivemos. E compreendendo, acabo avaliando tudo e todos de acordo é claro, com meu entendimento. Participei na minha infância da igreja católica: batismo, crisma, grupo de jovens, etc. Quase fui padre o que, me dá certa autonomia para opinar dessa forma. …

Diogo e Juremir

Ser crítico é uma arte, quase que um acinte. Muitas vezes, chocar é o meio pelo qual, consegue-se romper a barreira da lógica burra da mesmice. Juremir Machado da Silva escreveu em sua coluna deste sábado (13/mar) do Correio do Povo sobre sua amizade com Diogo Mainardi. Começa por aí a provocação, pois, se já é polêmico ler, imagine ser amigo desse cara. A coluna vai muito além da simples ideia que se tem dos dois, razão pela qual, vale muito a pena conferi-la. Leio Diogo Mainardi e Juremir e a acidez de ambos é fantástica. Lógico que Mainardi tem sua repercussão ampliada por Veja e Manhatan Connection mas por aqui nosso Juremir não deixa por menos e também é responsável por alguns'terremotos'. É complicado nesse país ser crítico, é como ser perseguido por indiferença, repulsa e ironia. Na maioria das vezes, e aqui vai minha opinião, é inveja por escrever destilando verdade absoluta e, principalmente, sem medo. Não tenho esse talento todo, também não sei se suportaria o fardo…

Impostos de Renda!

Começou o ano! Literalmente. E a boas-vindas quem dá é o Leão.
O indicativo que caracteriza o ano novo, enfim se dá, entre outras coisas, pelo congestionamento na internet para baixar o programa do imposto de renda. Prova viva de que as atividades sociais, profissionais, aquele projeto de metas e desafios começam a ser medidos a partir de hoje. Acabou a festa. Como diz José Simão: acabou o rebolation, agora é trabalhation.
E falando no leão, parece-me que ele está mais justo, não menos faminto, mais, pelo menos, um pouco mais coerente sobre quem deve e quem não deve declarar.
De certo, o fato de que está cada vez mais difícil enganá-lo.
À luta então amigos: recibos e calculadora a postos e mãos à obra.

Algumas dicas:
A vantagem de utilizar o programa para preenchimento disponibilizado pela Receita Federal é que o próprio programa observa os limites legais das deduções e apura automaticamente o imposto a pagar ou a restituir, ele também informa ao contribuinte a opção de declaração, com…