Lula e Fidel

Nefasto, desproposital e descabido. Menos incorente. Esse encontro mostra a face de um ideal que, graças à democracia, não se cria e nunca se criará.
Por mais que compreendo, impressiono-me e fico receoso. Numa avaliação breve do que realmente significa essa amizade explícita, concluo que, felizmente, o modelo cubano não combina com o brasileiro, no entanto, não faltam os que não só acreditam nele como solução e pregam nas entrelinhas, tal propósito.
De tudo que li e vi a respeito, reproduzo a conclusão de Rodrigo Contantino em artigo que você pode lê-lo na íntegra clicando aqui:
Não é novidade alguma que o PT e o presidente Lula reverenciam o pior ditador de todos os tempos na América Latina, Fidel Castro. Amigos de longa data, parceiros no Foro de São Paulo, o PT e o regime cubano tem tudo a ver. Nada mais coerente, portanto, que o presidente Lula visitar novamente os irmãos Castro em seu feudo, enquanto ignora a morte do dissidente político, cujo "crime" havia sido discordar da ditadura comunista. É um espanto! Não a postura de Lula, altamente esperada. Mas o fato de que este senhor é o presidente do Brasil, com ampla aprovação popular. Onde vamos parar assim?
O artigo, na verdade, reproduz a entrevista de Oswaldo Payá ao jornal O Globo (vale a pena ler!)
Votei em Lula, mais de uma vez e não me arrependo, mas me decepcionei. Na verdade, e porque o PT não governaria nunca sozinho, é possível em algumas de suas lideranças, enxergar lucidez.
Comentário publicado em OpiniãoLivre.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)