Reforma moral

Nas próximas eleições, não votem em quem prometer moralizar esse ou aquele setor da nossa política. Não é que ele esteja mentindo, é porque, simplesmente, não vai conseguir.
Saiu na mídia:
...o secretário José Francisco Mallmann entra em rota de colisão pela segunda vez com a governadora Yeda Crusius e recua em suas ações. A primeira colisão do secretário com a governadora ocorreu em agosto, quando ele apresentou a chamada proposta de Lei Seca para ser implementada no estado.
...O ex-secretário e deputado federal Enio Bacchi declarou, ao sair da pasta: "no momento em que eu apontei o dedo para o combate ao tráfico de drogas, tive o apoio de todos, inclusive da governadora; apontei o dedo para o combate aos desmanches, tive o apoio da governadora. Imaginava que quando apontasse o dedo para uma ferida que muitos têm medo de apontar, que é a corrupção dentro das forças e das corporações, eu tivesse o mesmo respaldo. Mas aí me faltou aquele respaldo necessário para enfrentar isso. Sozinho não se enfrenta isso. Aí me faltou respaldo. Por quê? Eu não sei...".(leia+)
...A delegada Estella Maris Simon entregou ontem pela manhã, em reunião com o chefe da Casa Civil, José Alberto Wenzel, pedido de demissão da presidência do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). No comando da autarquia desde novembro de 2007, quando foi deflagrada a Operação Rodin, que revelou esquema de fraude no órgão, Estella não teria conseguido implementar as medidas saneadoras a que se propôs na ocasião da posse.(leia+)
Mallmann,Bacchi e agora Estella Maris são exemplos de quem se propõe a fazer a coisa certa e melhor, tenta acabar com o que errado está. Aí, são barrados, acuados, execrados por seus comandantes que, nitidamente não querem moralizar nada nessa política.
Quero crer, e ainda creio que o melhor que temos a fazer nesse sentido é votar em quem quer mudar, por outro lado vejo que esses - que já são tão poucos -quando chegam não conseguem fazer nada.
A cena é essa, e é feia. Um câncer social!
Uma revolução precisa ser feita na política, para ontem! E daqui para frente, uma atenção especial não só aos quais votamos, mas também, e principalmente a quem manda de verdade nesse país: banqueiros, megaempresários, donos de TV e rádio, lobistas, etc. São esses que determinam os rumos do país desde ontem, hoje e, se deixarmos, para todo o sempre.
Mais de uma reforma política, uma reforma moral.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)