Poupança


Diferente do que foi na era Collor sei que é. Mas que dá medo, dá!
Governo Collor:
..."Além disso, as medidas de Collor para a economia incluíram ainda ações de impacto como: o confisco dos depósitos bancários superiores a Cr$ 50.000,00 (cinqüenta mil cruzeiros) por um prazo de dezoito meses visando reduzir a quantidade de moeda em circulação, alteração no cálculo da correção monetária e também na sistemática das aplicações financeiras, redução da máquina administrativa com a extinção ou fusão de ministérios e órgãos públicos, demissão de funcionários públicos e o congelamento de preços e salários (embora tenha sido em seu governo que os aposentados rurais tenham conquistado o direito a um salário mínimo como benefício básico ao invés do meio salário até então vigente)".
Governo Lula:
..."De acordo com a medida anunciada hoje pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, contas com saldo superior a R$ 50 mil pagarão imposto de renda sobre a rentabilidade a partir do ano que vem".

Sei amigos que a situação é outra, e até mesmo a medida adotada é totalmente diferente do assalto que cometeu o Fernandinho. Mas o número 50 dá vertigem a quem viveu aqueles anos cruéis, teve dinheiro sequestrado e viu quase nada reposto.
Embora Lula já tenha feito muitas coisas que nunca antes na história desse país imaginaríamos do Partidos dos Trabalhadores, quero crer que realmente o dinheiro suado do brasileiro não suma mais uma vez das suas contas bancárias e nossos políticos da área econômica procurem alternativas afim de que, essa medida anunciada, nem se faça necessária executar. Quem sabe?
Chega de pagar conta dos outros....

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)