Governo sem alma

A saída do secretário da Fazenda, Aod Cunha expõe a principal característica de governo Yeda. Desfazer o que dá certo.
Sem querer criticar o ex-secretário - até porque não tinha como segurá-lo mesmo - mas o fato mostra as contradições de um governo tão cheio de nuances. O que dá certo, tem vida curta, e aqui lembro-me do ex-secretário de segurança Enio Bacci.
Felizmente o saldo de Yeda é positivo, pois nem ela consegue afundar seu criticado governo. No entanto, a saída de Aod Cunha deixa uma ferida exposta. Há quem diga que parte da alma dos tucanos foi roubada.
Não chego a tanto. Torço para que seu substituto possa, sem alarde, manter o que de bom foi feito e sem surpresas desagradáveis afim de que não desmorone a, quem sabe, sólida situação financeira do RS.
►Esta opinião foi resumidamente publicada no jornal Correio do Povo de 16/jan/09. Coluna: Do Leitor na pág: 4 sob o título: Ferida exposta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)