Crianças e o orkut!


Não é oprimindo que se consegue tomar as rédeas de qualquer situação. Tudo na vida que é proibido, torna-se extremamente atraente.

O caso da menina Rachel de 9 anos, encontrada morta em uma mala e todos os seus tórridos desdobramentos que dispenso relatar trouxe uma polêmica discussão sobre os limites que damos a nossas crianças no mundo virtual. Pois seu perfil no Orkut, poderia ter dado munição para que o assassino agisse.

Ouvi, como faço diariamente, o Felipe Vieira e o Diego Casagrande (Bandnews Poa 1ª edição) na edição de hoje conversarem sobre esse assunto e refleti muito o dia todo pois, minha filha tem 10 anos e também tem um perfil no orkut. Conclui o assunto assim:


Tomo, todos cuidados de praxe - principalmente no que diz respeito ao limite no tempo de acesso, exposição do computador na sala - à vista de todos, vigilância diária de sua navegação e muito diálogo.

Hoje é muito difícil impedir isso tudo.

Nossas crianças se divertem enclausuradas nas grades do condomínio ou encerradas em casa e a internet já faz parte do dia-a-dia delas. Minha filha está na 4ª série e estuda em escola pública e seus livros trazem sugestões de sites para aprofundarem os assuntos propostos assim, a interatividade entre eles, no contra-turno se dá pelo orkut e o msn. Não tem outro jeito.


Olha, diria que metade dos orkuteiros é menor de idade...


Por outro lado, se puderem conter seus filhos de não entrar no mundo virtual, e mesmo assim mantê-los atualizados, parabéns!


Quanto ao caso que gerou essa polêmica, absurdo total era essa menina andar pra cima e pra baixo sozinha. A propósito, levo minha filha a escola todos os dias e minha esposa pega...


No nosso tempo que era bom: jogávamos bolinha de gude, taco, caçador, e nem imaginávamos esse tipo de problema a não ser quando maiores passavam para fazer o "rapa" nas bolinhas de vidro...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)