O pseudo-bom senso!

Quem disse que não dá. A Dona Yeda dá!
Depois de espernear e manifestar contrariedades ao piso fixado pelo governo federal de R$ 950,00 ao magistério, o bom senso prevaleceu e a governadora Yeda Crusius encaminha à Assembléia Legislativa projeto de lei determinando a medida.
Um alento que se estende aos servidores inativos, pensionistas e às pensões vitalícias.
A polêmica e o que mascara esse bom senso, como não poderia faltar, se dá pela desconsideração de aspectos previstos na lei federal.
O governo pode ter todas as razões, motivos ou dificuldades para dar aumentos, e isso até entendo. Agora, áreas de educação e saúde não podem, em hipótese alguma sofrer cortes ou esperar por um momento econômico favorável.
A saúde não pode esperar e educação é investimento, ou a profe Yeda não sabe?
Espero que essa resistência toda não seja por conta do deficit zero tão comemorado e que eu também parabenizo desde que, não seja por um capricho político.
A propósito, ela se comprometeu a encaminhar à Assembléia, em 2009, proposta com um plano de carreira e remuneração, "dentro das condições financeiras do Estado".
Seria esse o novo jeito de governar?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)