E agora, José?


Acabou!
Estamos livres, pelo menos por dois anos do horário eleitoral, campanhas partidárias e tudo o que envolve o pleito político, ou seja, mentiras e ofensas.
O resultado foi o esperado e previsto pelos institutos de pesquisa. Deu Fogaça com 58,95 % dos votos válidos.

E agora, José?
Chegou a hora de mostrar a população que estavas certo. Que Porto Alegre está avançando, evoluindo, crescendo e que os erros ou críticas apontados pela concorrência não tinham procedência.

NÃO ESQUEÇA, PREFEITO DE SUAS PALAVRAS DE CAMPANHA:

A priorização da educação infantil
Uma obrigação inadiável para qualquer governo deste país é a educação infantil de 0 a 6 anos, assim como, nos anos 50, aconteceu com a educação fundamental, dos 6 aos 14 anos. Nos 4 anos de governo que serão completados ao final deste, serão 38 escolas de educação infantil implantadas na Capital, em conjunto com as diretrizes do Orçamento Participativo. Para o próximo mandato, é possível dobrar esse número.

A manutenção da educação fundamental de qualidade
Existe um cronograma que visa à implantação, a cada novo ano do novo mandato, de cerca de 10 escolas, mas que precisa seguir, rigorosamente, a capacidade financeira da prefeitura. Quanto ao modelo pedagógico, fizemos uma audiência com escolas, pais, funcionários, representantes de entidades e, por mais de 80%, a manutenção do modelo de sistema de ciclos foi aprovada democraticamente. Eu sou a favor do que a maioria acha correto. Hoje, a cobra-se muito mais porque a retenção é maior e o modelo é mais eficiente. Além disso, aperfeiçoamos os laboratórios e incrementamos a área dos esportes e de outras atividades, visando à questão do turno integral.

A inclusão digital como processo que enriquece a cidade
No governo anterior, não havia áreas livres para internet em Porto Alegre. Então implantamos no parcão. E eu disse aos meus técnicos que no parcão era fácil, mas que queria ver internet sem fio na Restinga. Em conjunto com a PROCEMPA, eles desenvolveram uma tecnologia chamada Power Line, através da qual há a codificação, a passagem da informação por um cabo de extensão da CEEE e depois a decodificação que desce na esplanada da Restinga, disponibilizando internet sem fio e sem gasto para toda a população daquela região. Além disso, usamos o processo de inclusão digital, juntamente com nossas secretarias, para implantarmos cursos técnicos de nível médio em nossa cidade, o que não acontecia em governos anteriores. Hoje, se 100 fazem o curso, todos os 100 estão empregados.
A questão dos PSFs e a saúde levada à Zona Sul
Quando assumimos, havia 54 PSFs em funcionamento. Prometemos, então, passar desse número para 100. E, até o final deste ano, cumpriremos nossa promessa. Em três anos e meio, fizemos mais 40 PSFs, equanto somente 54 foram feitos em 16 anos das gestão anteriores. A nossa meta é alcançar, para o próximo mandato, 200 equipes de Saúde da Família para os porto-alegrenses. Além desse ganho de equipes, também já concedemos a terra para a construção do Hospital Geral da Restinga, em parceria com o Hospital Moinhos de Vento, que significará uma melhora extraordinária para os cidadãos daquela região. O projeto da construção do hospital é antigo, mas fomos nós quem o viabilizamos.
O cuidado com a segurança pública
Temos cobrado com firmeza da Governadora do Estado a necessidade de se investir na segurança pública de Porto Alegre, que é uma responsabilidade do Governo, e não da prefeitura. Cumprir tarefas que não são da prefeitura incorre em crime de responsabilidade. Mas isso não quer dizer que nos omitimos em relação a esse assunto. Pretendemos ampliar o contingente de brigadianos e da Guarda Municipal em, pelo menos, mais 200 guardas para os 4 parques e 60 praças de nossa cidade. Criamos, também, uma série de ações que, integradas com as esferas estaduais e com as secretarias do município, são capazes de minimizar o efeito da violência na Capital. Por exemplo, junto com a SMIC, promovemos o fechamento de 41 desmanches, enquanto que, no governo anterior, somente 9 foram fechados.

A Copa do Mundo de 2014 como qualificação da cidade
Assinamos o caderno de encargos e nos comprometemos a cumprir todos os ponto. Recentemente, recebemos a visita de consultoria da FIFA que, em conjunto com o nosso Comissão Executiva composta por 3 representantes de Porto Alegre, 3 do Governo Estadual, além de representantes da Federação Gaúcha e de entidades da nossa cidade, aprovaram as condições que já foram apresentadas por nós. Outro ponto interessante é a qualificação de Porto Alegre, reconhecida pela consultoria da FIFA, dada através do projeto Portais da Cidade, cuja realização pertence à prefeitura, enquanto que o do metrô diz respeito ao Governo Federal.

Os melhoramentos no trânsito da Capital
A III Perimetral, embora seja uma realização de grande porte para a Capital, não é capaz de agilizar o trânsito da cidade sozinha. Para isso, como parte de um grande projeto estratégico, é necessário realizar ainda um conjunto de cerca de 15 obras essenciais e indispensáveis, como o viaduto da Bento Gonçalves, o rebaixamento de nível na Anita Garibaldi e a ponte içada da Freeway, para melhorar o nosso trânsito.
Que a prática seja tão exitosa quanto a teoria.
Vigilância meu amigos(as)!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Octo

O primeiro mês do ano

Ontem (2016)